jump to navigation

Temporão defende pesquisas com células-tronco embrionárias 27/05/2008

Posted by Esclerose Múltipla in Utilidade pública.
trackback

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, disse nesta terça-feira que é favorável às pesquisas com células-tronco embrionárias. O ministro está otimista em relação ao julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF) que esta previsto para amanhã . O julgamento da ação teve início em 5 de março deste ano e foi suspenso por um pedido de vista do ministro Menezes Direito. Na ocasião, o relator do processo, ministro Carlos Ayres Britto, e a então presidente do Supremo, ministra Ellen Gracie, votaram contra a ação e a favor da pesquisa com células-tronco embrionárias. ( Veja a íntegra do voto do relator ) Você apóia a pesquisa com células-tronco embrionárias? Vote!

– O Brasil precisa. Os pacientes precisam ter uma esperança e os médicos estão querendo colocar o seu saber e o seu conhecimento no desenvolvimento de novas tecnologias. Quem sabe esta semana vamos ter uma grande notícia para o Brasil, os pacientes e os médicos – afirmou Temporão.

Cerca de 50 representantes do Movimento Brasil sem Aborto, da Associação Pró-Vida Família e da Arquidiocese de Brasília realizaram um ato público nesta manhã, em frente ao STF.

O objetivo dos manifestantes foi sensibilizar os ministros para que votem a favor da Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) 3510, que questiona o artigo 5º da Lei de Biossegurança.

Leia o manifesto de Marcelo Yuka

– O objetivo é sensibilizar os ministros, principalmente aqueles que porventura não tenham um voto definido em relação ao tema e ao julgamento de amanhã, no sentido de que eles possam fazer a opção pela admissibilidade da Adin – afirma Jaime Ferreira Lopes, coordenador nacional do Movimento Nacional em Defesa da Vida – Brasil Sem Aborto.

Especialistas em fertilização e doadores de embriões defendem valor das pesquisas com células-tronco embrionárias

Para os manifestantes contrários a essa permissão, o uso de células-tronco embrionárias fere o direito à vida.

– Nós partimos de um princípio fundamental, o direito inviolável da vida, e essa vida para nós tem início na fecundação, porque, a partir da fecundação, nós temos já definido todo o DNA do ser humano que irá se desenvolver – diz Lopes.

Além disso, eles alegam que os estudos feitos com esse tipo de célula em outros países não têm tido bons resultados, ao contrário das pesquisas com células-tronco de adultos.

– Nós sabemos que as pesquisas com células-tronco feitas nos países onde são permitidas têm resultado zero, do ponto de vista da aplicação em terapias em seres humanos – afirma o coordenador.

– As células-tronco embrionárias são extremamente resistentes e elas acabam provocando, na experiência em camundongos, alta rejeição e tumores cancerígenos – completa.

Leitores do GLOBO ONLINE apóiam pesquisas com células-tronco

Fonte: O Globo Online

%d blogueiros gostam disto: