jump to navigation

Exercício físico adequado para EM 17/01/2008

Posted by Esclerose Múltipla in Qualidade de vida.
trackback

Durante muito tempo, as pessoas com esclerose múltipla (EM) foram recomendadas a reduzir a actividade física. Esse tipo de orientação permite controlar a fadiga e diminuir o risco de exacerbação dos sintomas da doença.

No entanto, a adopção de um estilo de vida sedentário aumentou indirectamente o risco de doenças cardíacas e em outras condições associadas ao sedentarismo a distúrbios característicos da EM.

Mais recentemente, tem sido invertida essa tendência e grupos de indivíduos com EM têm-se envolvido em programas com exercícios físicos e alcançado benefícios similares àqueles obtidos por pessoas saudáveis.

A esclerose múltipla (EM)

A EM é uma doença neurológica crónica que afecta o sistema nervoso central (KIESEIER e WIENDL, 2006).

Quando comparados a pessoas saudáveis, indivíduos com EM apresentam défices na capacidade aeróbia e força. Não obstante, são verificadas melhorias no seu estado físico global sem que exista acrescido risco ao desenvolvimento de surtos decorrentes do treino. Considerando o crescente número de pesquisas com exercícios físicos para pessoas com EM e sua consequente indicação para a promoção de saúde e qualidade de vida, propomos algumas directrizes a seguir.

O seu médico deve ser sempre consultado antes de iniciar a pratica de exercício físico. Poderá fornecer informações preciosas acerca da progressão da doença e das especificidades do quadro clínico actual. Poderá ainda indicar dificuldades e limitações fisiológicas peculiares de cada paciente, o que pode ser fundamental para a determinação de um programa adequado de exercícios.

A constante troca de informações com o médico deve ser mantida para que sejam realizadas as alterações adequadas sempre que necessário.

Será necessária uma avaliação da função motora. O estabelecimento de parâmetros para avaliação pode ser útil para quantificar a evolução do aluno.

A atenção ao progresso da doença é importante para a orientação de exercícios físicos para pessoas com EM.

Considerando as capacidades, limitações e objectivos pessoais, pode-se estabelecer o programa mais adequado de exercícios físicos. De maneira geral, recomendam-se exercícios de volume e intensidade moderada, com sessões em dias intercalados que permitam sua adequada recuperação.

Exercícios aquáticos

Estes exercícios são adequados para estes doentes.

O desenvolvimento das capacidades de força e resistência muscular localizada podem ser alcançados em meio aquático pela participação em aulas conhecidas, como a hidroginástica ou hidroterapia.

Já para o aumento da capacidade aeróbia, podem ser procuradas aulas natação, desde que essas não obriguem a esforços muito intensos que aumentem significativamente a fadiga.

Exercícios aeróbios

As orientações do ACSM (POLLOCK et al, 1998) para a prescrição do treino aeróbio são:

• Frequência: pelo menos três dias por semana.
• Intensidade: 65 – 70% da frequência cardíaca máxima, ou 55-60% do VO2max.
• Duração das sessões: 30 minutos de actividade aeróbia contínua ou intervalada.
• Modalidade de treino: ciclo-ergometro horizontal ou vertical de pernas e braços ou natação.

Sugerem-se actividades de baixo impacto como yoga e tai-Chi. Indivíduos com pouco ou nenhum deficit motor poderão seguir programas similares aos propostos para pessoas saudáveis.

Duarte Galvão
Fisioterapeuta e Personal Trainer no Holmes Place de Miraflores

Fonte: Médicos de Portugal e Jornal do Centro de Saúde

%d blogueiros gostam disto: