jump to navigation

Cápsulas naturais devem ser tomadas apenas com indicação do médico 13/11/2007

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico, Qualidade de vida, Utilidade pública.
trackback

Combinados com alguns medicamentos, os suplementos naturais podem ser perigosos

Chá verde para emagrecer, cápsulas de equinácea para resfriados, comprimidos de vitamina A para melhorar a visão, tintura de camomila para ter um sono tranqüilo… Atire a primeira pedra quem nunca se animou com as promessas dos suplementos naturais e dos complexos vitamínicos. Bem dosados, eles podem trazer benefícios para a saúde, atuando como coadjuvantes no tratamento de doenças leves. Em grandes quantidades, no entanto, os suplementos naturais podem ser verdadeiras bombas para o organismo, principalmente quando combinados com certos alimentos ou medicamentos.

 

Cada individuo é único em suas necessidades. O suplemento pode ajudar ou atrapalhar, mas só quem pode definir isso é um especialista, que vai indicar a fórmula e a dosagem corretas


O ideal é procurar orientação de um especialista antes de ser seduzido pelas promessas dos frascos nas prateleiras. É o que afirma a médica Jaqueline Renault, especialista em terapia ortomolecular, que lembra que só porque os suplementos são naturais não quer dizer que não tenham contra-indicações.- Alguns não podem ser tomados por longos períodos, outros são totalmente contra-indicados para gestantes e mulheres que estão amamentando. Até as vitaminas, que parecem inofensivas, podem causar hipervitaminose, intoxicação, náuseas e vômitos – explica Jaqueline. Tinturas, cápsulas, pós e até chás totalmente naturais podem sobrecarregar o fígado, órgão responsável por metabolizar todas as substâncias que entram no corpo pela boca.

Para a médica, um dos equívocos mais comuns é das pessoas errarem no próprio diagnóstico e tomarem suplementos que nada têm a ver com seus sintomas, às vezes até piorando o quadro inicial. Além disso, muitos suplementos naturais interferem com medicamentos sintéticos, fazendo com que eles percam a eficácia ou se tornem mais tóxicos. É o caso da erva de São João, que anula os efeitos dos anticoncepcionais orais e altera a ação dos antidepressivos, e do ginseng e da equinácea, que podem interferir na coagulação do sangue.

– Cada individuo é único em suas necessidades. O suplemento pode ajudar ou atrapalhar, mas só quem pode definir isso é um especialista, que vai indicar a fórmula e a dosagem corretas – avalia Jaqueline Renault.

Confira algumas combinações explosivas:– Erva de São João e anticoncepcionais – A erva diminui a capacidade do corpo de absorver os hormônios sintéticos e aumenta o risco da gravidez.

– Equinácea e remédios para artrite – Extrato vegetal muito usado em casos de gripe, a equinácea, em conjunto com remédios para artrite, aumenta o risco de inflamações no fígado.

– Cápsulas de alho e aspirina – Podem aumentar sangramentos e dificultar a cicatrização.

– Ginko biloba e procedimentos cirúrgicos – A substância natural usada para dar mais energia também interfere na capacidade de coagulação do sangue.

– Fucus e remédios para tireóide – O suplemento à base de algas marinhas também atua na tireóide. Combinado com a medicação, pode desequilibrar ainda mais a glândula e, em casos extremos, leva-la à exaustão.

– Ácido Linoleico Conjugado (CLA) e alimentos ricos em gordura – Usado por atletas para aumentar a massa muscular e diminuir a gordura corporal, o CLA pode causar enjôos, dores no estômago, dor de cabeça e acne.

– Todos os suplementos naturais e/ou complexos vitamínicos e cirurgias – Os suplementos naturais podem interferir na absorção dos anestésicos, além de alterar os processos de coagulação e cicatrização. Não deixe de avisar um médico se você toma suplementos e vai ser operado.

Fonte: O Globo Online

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: