jump to navigation

Desemprego abate sistema imunológico, revela pesquisa 24/04/2007

Posted by Esclerose Múltipla in Qualidade de vida.
trackback

O estresse do desemprego pode amortecer as defesas do organismo – mas encontrar um emprego restaura o poder de luta do sistema imunológico, revela um novo estudo.

No novo estudo, pesquisadores da Universidade da Califórnia em São Francisco acompanharam 100 adultos empregadas e 100 desempregados durante quatro meses. A faixa etária deles era de 29 até 45 anos.

Os empregados foram emparelhados com os desempregados, levando-se em conta fatores como gênero, idade, raça e nível educacional. Indivíduos com doenças crônicas ou sob tratamento médico que poderiam afetar o sistema imunológico, fumantes e usuários de drogas intravenosas foram excluídos do estudo.

A cada mês, os pesquisadores coletaram amostras de sangue dos participantes para medir níveis de células “assassinas”, os linfócitos citotóxicos – um indicativo da força do sistema de defesa do organismo.

Os pesquisadores descobriram que, em geral, o grupo desempregado tinha uma atividade menor dessas células de defesa do que o grupo empregado. Entretanto, 25% dos desempregados encontraram uma vaga durante o estudo – e a medição de suas células assassinas voltou ao normal.

“Acreditamos que este é o primeiro estudo em humanos a documentar a recuperação do sistema imunológico depois do fim definível de um fator de estresse crônico”, relataram Frances Cohen e colegas em artigo da revista “Psychosomatic Medicine”.

O estresse crônico pode prejudicar as defesas do organismo através de seus efeitos sobre o sistema nervoso. As glândulas supra-renais liberam o hormônio norepinefrina em resposta ao estresse, e, em laboratório, essa substância mostrou-se capaz de reduzir a presença dos linfócitos.

Agora, o estudo sugere que a função imunológica é flexível diante do estresse de longo prazo e pode rapidamente se recuperar, uma vez que o fator que causa o estresse se foi. Na pesquisa, o sistema imunológico dos participantes começou a se recuperar no primeiro mês depois de encontrarem o emprego.

Fonte: O Globo Online

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: