jump to navigation

Incontinência urinária 14/04/2007

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico.
trackback

Sofro de INCONTINÊNCIA URINÁRIA. Existem métodos alternativos para tratar o problema?

APONTADA POR ESPECIALISTAS e pacientes como um dos distúrbios mais desagradáveis, a incontinência urinária se caracteriza pela perda involuntária de urina. Estima-se que, no mundo todo, cerca de 200 milhões de pessoas convivam com esse incômodo, que é mais comum em mulheres com mais de 60 anos. De acordo com o chefe do Setor de Urologia Feminina da Unifesp, Fernando Almeida, a doença tem, em geral, duas causas: disfunções na uretra e problemas na bexiga. “Quando a causa é a dificuldade no fechamento uretral, temos uma incontinência relacionada a esforços como tossir, espirrar e levantar peso. Do contrário, é possível que se trate de bexiga hiperativa”, diz. A medicina alopática oferece diversos tipos de tratamento, remédios e cirurgias. No entanto, aqueles que preferem técnicas alternativas contam com boas opções. Confira:

fitoterapia

“Devido à capacidade estimulante e reguladora que certas drogas vegetais têm sobre o sistema urinário, a fitoterapia apresenta bons resultados no tratamento da incontinência, problema que está bastante associado à idade avançada. Para ajudar no tratamento do distúrbio, utilizamos alguns medicamentos como os extratos da raiz da popularmente conhecida urtiga (Urtica dioica) e dos frutos do Cornus officinalis, entre outros. No alívio aos desconfortos da bexiga empregamos os extratos de kava-kava (Pipermethysticum).” Roberto Boorhem, diretor do Centro Médico de Terapias Integradas do Leblon.
SÍMBOLO IMAGENS

pilates

“Para tratar esse problema, trabalho com o pilates agregado a outras técnicas de exercício. O tratamento consiste em orientações sobre o funcionamento da bexiga e da musculatura pélvica e exercícios passivos e ativos para fortalecer essa musculatura e a região abdominal. Faz-se uma espécie de reeducação comportamental, para que a paciente possa identificar seus problemas e os pontos a serem trabalhados. Em determinadas situações, oriento trabalhos de musculação interna na área do esfíncter uretral (musculatura que envolve o orifício das micções), melhorando o controle da pessoa em segurar a urina. Nesses casos, a paciente se exercita com o apoio do absorvente interno ou de um instrumento específico para isso, o cone de Kegel.”Regina Godoy, especialista em reeducação uroginecológica.

acupuntura

“Existe uma forte tradição do uso de acupuntura no tratamento da incontinência urinária. Vários pontos trabalhados na técnica possuem indicação para tratar a deficiência, modulando os reflexos nervosos que ficam comprometidos com a doença. Muitos dos casos de incontinência, especialmente em mulheres, não possuem base patológica identificável. Um dos exemplos é a frouxidão na musculatura do períneo. Muitas dessas pacientes não obtêm resultados com as terapêuticas convencionas e, no entanto, respondem bem à acupuntura. Costuma-se combinar o tratamento geral com a estimulação de pontos específicos nas pernas, no baixo ventre e nas costas.”Alex Botsaris, acupunturista e diretor do Instituto Brasileiro de Plantas Medicinais.

Fonte: Revista Estilo Natural

%d blogueiros gostam disto: