jump to navigation

Pense de um jeito mais feliz 25/02/2007

Posted by Esclerose Múltipla in Qualidade de vida.
trackback

Nossos pensamentos são poderosos e capazes de atrair bons fluidos. Podem nos trazer a serenidade que tanto desejamos.

A ciência já comprova que os pensamentos dão forma às experiências que construímos no dia-a-dia, como se pintassem um retrato das coisas, dos acontecimentos, das pessoas e de nós mesmos. E as nossas crenças e valores desempenham um papel fundamental na elaboração desse retrato que fazemos.

Segundo o psiquiatra Jonas Melman, estamos acostumados a usar certas programações mentais para ver e traduzir os acontecimentos, e nem sempre nos damos conta dos sistemas de pensamento que operamos para realizar a leitura do que chamamos de realidade.

Freqüentemente, sem perceber, projetamos no mundo o retrato que pintamos de nós mesmos, pois o mundo funciona como uma espécie de espelho onde projetamos nossas vivências. “Nossa cultura é muito crítica e exigente e geralmente só percebemos nos outros, o que eles têm de pior, aquilo que nos incomoda e irrita. Por meio de uma postura julgadora, buscamos controlar e dar um diagnóstico para tudo e todos. Mas podemos escolher funcionar de outra maneira”, diz o psiquiatra.

Para isso, basta olhar para o mundo e para o outro com mais generosidade, buscando relações mais solidárias, nutrindo pensamentos saudáveis. “A mente atribulada, com tendência a funcionar de maneira automatizada, poderá optar, então, por uma forma mais amorosa e serena de pensar. A mudança para melhor logo virá, pois a qualidade de nossos pensamentos tem influência direta na qualidade de nossa vida”, conclui Jonas Melman.

“Tenha sempre bons pensamentos.
Porque os seus pensamentos se transformam em suas palavras.
Tenha sempre boas palavras.
Porque as suas palavras se transformam em suas ações.
Tenha sempre boas ações.
Porque as suas ações se transformam em seus hábitos.
Tenha sempre bons hábitos.
Porque os seus hábitos se transformam em seus valores.
Tenha sempre bons valores.
Porque os seus valores se transformam no seu próprio destino”.

Mahatma Gandhi

Os bons pensamentos têm poder

Essa é a teoria sustentada pelo pesquisador japonês Masaru Emoto. Ele chegou a essa conclusão após oito anos de pesquisa em que cristalizou, fotografou e analisou moléculas de água das mais diversas regiões do mundo. Você deve estar se perguntando: o que a água tem a ver com isso?

Pois a pesquisa do Dr. Emoto, publicada em 1999 no livro “A Mensagem da Água”, estudou os efeitos atribuídos às vibrações dos pensamentos, sentimentos, palavras e músicas sob amostras de água retiradas de rios, lagos, chuva e neve de várias regiões do mundo. Os resultados foram surpreendentes. As amostras submetidas a estímulos considerados positivos apresentaram desenhos harmônicos e simétricos. Enquanto aquelas que estavam expostas a estímulos negativos se mostraram totalmente disformes.

O impacto desse resultado pode ter grandes proporções. Afinal, somos logo impulsionados a pensar que: se é possível constatar os efeitos dessas vibrações nas moléculas de água, qual não seria o impacto disso no organismo humano e no planeta? Isso porque, ambos são compostos por 70% de água. A possibilidade de o pensamento ter um efeito concreto e afetar tudo o que nos cerca e a nós mesmos é surpreendente, polêmico e de certa maneira inspirador.

Sendo assim, ganhamos uma autonomia imensa ao saber que nosso bem-estar está diretamente ligado àquilo que pensamos, desejamos e emanamos. Ao mesmo tempo, tal constatação nos traz uma responsabilidade grande, que nos torna de fato os condutores principais na busca pela paz e serenidade na vida.

Exercício para ser feito a dois
Este exercício deve ser feito em duplas. Convide seu marido, esposa, ou mesmo um irmão ou amigo e sente-se de frente para ele.

Primeiro Passo – Concentre-se
Fiquem em silêncio por alguns segundos, concentrem-se, relaxem e só então iniciem o exercício.

Segundo Passo – Exercite a crítica
Primeiro você. Comece o exercício pensando em tudo aquilo que te desagrada no outro. Pense no que ele faz que você não gosta, não aprova ou faria diferente. Enumere os defeitos e as limitações que você identifica, lembrando de tudo o que te irrita e incomoda no outro. Preste atenção no ritmo de seus batimentos cardíacos, na respiração e em como você está se sentindo ao fazer esse exercício.

Terceiro Passo – Relaxe novamente
Após desenvolver a primeira parte do exercício, finalize os pensamentos e procure relaxar novamente. Respire fundo, inspirando pelo nariz e soltando pela boca. Relaxe a musculatura do pescoço, ombros e solte os braços. Concentre-se novamente.

Quarto Passo – Exerça a compaixão
Inicie a segunda parte do exercício pensando em tudo o que você admira no outro. Reflita sobre as virtudes e atitudes que te inspiram e enumere as qualidades que você identifica nele. Exercite a compaixão.

Quinto Passo – Reflita e avalie
Respire fundo de novo e inicie uma reflexão profunda, comparando suas sensações durante a realização de todo o exercício. Você poderá sentir com bastante intensidade que, enquanto esteve pensando nos pontos positivos de seu companheiro, a sensação de bem-estar foi predominante.

Sexto Passo – Troque experiências
Deixe agora que o outro pratique o exercício, fazendo o mesmo processo em relação a você. Ao terminar, conversem sobre esta experiência e sobre o que sentiram durante a atividade.

Desafio final – Tente, experimente
“Um de nossos maiores desafios é mudar as representações que estabelecemos da realidade. “Os pensamentos repetidos vão formatando crenças que determinam nossas atitudes. E transformar os pensamentos automatizados exige um trabalho intenso sobre nós mesmos – para que possamos ampliar nossa capacidade de observar de forma relaxada o mundo e olhar com mais amplidão e tranqüilidade a realidade que nos cerca. Essa nova percepção desperta nossa compaixão e nos mostra que é possível transformar nossas atitudes, atrair coisas boas e ser mais feliz.”
Jonas Melman, psiquiatra

Fonte: Revista BemEstarBem – ano VI • ciclo 03 • 02/02/07 – Colaboração EstiloNatura

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: