jump to navigation

Adeus insônia 26/11/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Qualidade de vida.
trackback

Dormir bem é sinônimo de qualidade de vida. No entanto, grande parte das pessoas tem dificuldades para “desligar” das preocupações e dos problemas. Conheça algumas técnicas que ajudam a relaxar e a aproveitar melhor as noites de sono para acordar com pique total no dia seguinte

POR PATRÍCIA AFFONSO, FOTOS TÂNIA LUMENA, PRODUÇÃO ESTER DIAS

O RELÓGIO DENUNCIA: já são altas horas da madrugada e dentro em breve o sol baterá à sua janela intimando-a a levantar e a encarar mais uma jornada repleta de obrigações. Nas paredes do quarto, a meia-luz do abajur projeta muitas imagens. São simples reproduções dos objetos que se encontram sob a cabeceira, contudo, sua imaginação começa a transformar cada uma dessas sombras em personagens de histórias fantasiosas. O silêncio domina o ambiente, não fossem os chamados de sua mente inquieta, que não consegue se desligar. Os frutos disso tudo aparecerão em poucas horas: fadiga, irritabilidade, sonolência, baixa concentração e lentidão dos reflexos. Essa batalha entre o corpo, que necessita do descanso, e a mente, que não permite o repouso, tem um nome muito conhecido: insônia.

Com certeza você já ouviu falar desse mal que atinge cerca 20% da população brasileira. A estatística parece pouco significativa se atentarmos para o índice de pessoas que se queixam de noites maldormidas. É preciso saber, no entanto, que ela se refere aos que sofrem de insônia crônica, ou seja, passam semanas e até meses com dificuldade para dormir. Se formos considerar também aqueles que esporadicamente passam uma noite em claro, o número será muito maior. Para alguns especialistas, essa insônia eventual é quase tão comum quanto uma simples dor de cabeça.

O neurologista do Instituto do Sono e professor de medicina do sono da Unifesp, Luciano Ribeiro Pinto, afirma que, ao contrário do que a maioria pensa, a insônia não é uma doença, mas sim, um sintoma: “A insônia é parte de uma síndrome, de um conjunto de manifestações do físico que indicam que algo não vai bem”, diz. O médico traz uma má notícia para nós, mulheres: está comprovado que somos as mais atingidas pelo distúrbio, principalmente quando chegamos à faixa entre 40 e 45 anos. São diversos os fatores desencadeantes: “Pode haver relação com predisposição genética, alterações hormonais ou na estrutura do sono, bem como os fatores psicológicos de ordem social, afetiva e familiar. O âmbito emocional é, sem dúvida, o principal responsável pelo mal”, esclarece o especialista.

Exemplo claro disso é o caso de Maria de Fátima Parra de Andrade, 45 anos. Vítima há oito meses, ela conta que desenvolveu o problema após o falecimento de sua mãe: “Foi uma manifestação do que os médicos chamaram de estado de depressão pósestresse. Desde então, deito-me num horário regular, por volta das dez da noite e acordo invariavelmente às três da manhã. Durante a noite acordo muitas vezes, tenho sonhos agitados e não consigo relaxar profundamente. O resultado? “Passo os dias cansada e sonolenta, querendo adormecer fora de hora”, finaliza.

Durma com um barulho desses

Para a jornalista Priscila Dal Poggetto, 23, a dificuldade está em desacelerar seu ritmo. Desde pequena, sua personalidade inquieta refletia na agitação da hora de dormir. Ou melhor, de não fazê-lo. Os pais tentavam de tudo para ajudar, mas nem assim a menina conseguia descansar. Hoje, por conta das obrigações e dos horários a insônia é ainda mais cruel:

“Só consigo pegar no sono depois das duas da manhã e me levanto bem cedo para trabalhar. Isso me atrapalha demais. O desgaste é notável. É como se meu físico ficasse estafado, mas minha mente não aceitasse parar”, diz. Certa vez, ela chegou a cochilar no volante: “Fico preocupada porque, às vezes, meu corpo chega no limite e eu tenho uns apagões rápidos”.

O massoterapeuta João Júlio de Almeida afirma que a correria diária e o estresse são grandes facilitadores da incidência do mal:

“Nem todos conseguimos manter o controle sobre isso e acabamos por arrastar os problemas para a cama, querendo resolver as pendências do dia durante a noite”, declara o especialista.

Baseado na idéia de que as preocupações, a tensão, a ansiedade e o estresse são inimigos do sono tranqüilo, Ribeiro Pinto acredita que algumas técnicas alternativas, por levarem o indivíduo a situações de relaxamento, são boas opções para auxiliar os portadores de insônia:

“Se fizer com que o insone fique mais sossegado, então é certamente um tratamento bem-vindo. Além disso, a pessoa precisa mudar hábitos inadequados, fazer o que chamamos de higiene do sono, conclui”( leia box no final do texto).

Conheça a seguir algumas técnicas alternativas que prometem bons resultados contra esse distúrbio e confira nossas dicas para relaxar ter bons sonhos.

florais de bach

Os florais são essências naturais feitas de flores. Sua composição é livre de agentes químicos e, dessa forma, eles não possuem contra-indicação, não ocasionam vícios, nem efeitos colaterais. Essas substâncias não tratam o problema isolado, mas sim, o que está levando a pessoa a desenvolvê-lo. “Os remédios alopáticos criam uma dependência sem fim. Como os florais atuam em nível energético, fazem com que o insone ‘fabrique’ no seu próprio cérebro o desejo de dormir profundamente, relaxando simultaneamente a mente e o corpo. Já os medicamentos convencionais não permitem que o próprio indivíduo faça parte do seu processo de cura, ou seja, ‘alguém’ faz isso por ele”, explica Viviani Farah, especialista em terapia floral.

Existem diversos tipos de florais. No caso dos Florais de Bach, criados na década de 30 pelo médico inglês Edward Bach, são 38 essências e mais uma composição floral especial para os casos emergenciais.

Geralmente, eles são tomados por via oral, mas hoje já são encontradas preparações em forma de spray, que devem ser borrifadas no quarto antes de dormir. Segundo Viviani, ambos funcionam muito bem, mas é imprescindível a orientação de um especialista para indicar qual a essência ideal para o seu caso. Veja quais florais utilizar para tratar os diversos casos de insônia:

white chestnut – ideal para os que têm pensamentos indesejados e preocupações fixas e repetitivas, que causam tormento mental.

aspen – indicado para pessoas que são atingidas por medos, preocupações indefinidas, pressentimentos e pesadelos.

rock rose – eficaz para quem sofre de síndrome do pânico e sente pavor de pegar no sono e passar mal.

red chestnut – excelente para os que têm medo e preocupação excessiva com o bem-estar dos entes queridos, mesmo na hora de dormir.

agrimony – contra ansiedade oculta por uma máscara de bom humor. Essas pessoas geralmente negam e evitam a dor emocional, preferindo os soníferos para anestesiarem seus constantes sofrimentos.

scleranthus – recomendado para os que dormem e acordam várias vezes durante a noite.

waknut – útil para indivíduos que padecem com as influências externas, acordam por qualquer barulhinho e não pegam mais no sono.

willow – apropriado para pessoas que ficam remoendo ressentimentos e amarguras do cotidiano e não conseguem relaxar.

impatiens – bom para aqueles que são irritados, tensos ou impacientes.

Aromaterapia

 

O olfato é um dos sentidos que mais exerce influências sobre o corpo humano. Isso porque ele age em nosso subconsciente, ativando memórias e influenciando reações fisiológicas e diversas funções do sistema nervoso. Muitos óleos essenciais utilizados na aromaterapia ajudam a relaxar e estimulam os feromônios do sono. Os mais indicados são os odores de lavanda, rosa, jasmim, cravo-da índia e manjericão que, além de inalados, podem ser empregados em escalda-pés.

SÂNDALO: estimula o sistema nervoso central, dispersa a ansiedade e a depressão. Conforta, trazendo relaxamento ao sentimento de euforia.

LAVANDA: atua como relaxante sistêmico, regula e equilibra a força e a energia vital, especialmente por sua poderosa atuação no sistema nervoso, assim como no cardiovascular. É o regulador do sistema simpático e exerce ação sedativa e estimulante.

BERGAMOTA: a fragrância cítrica e doce deste óleo torna as pessoas mais alegres. Seu perfume penetrante pode auxiliar na recuperação do controle emocional, proporcionando uma noite de sono relaxante.

CAMOMILA: sua ação calmante é excelente para todo o tipo de fadiga emocional, preferencialmente a causada por traumas. Traz harmonia, serenidade e paz para o espírito. É basicamente indicada para dispersar raiva, nervosismo, frustração e irritação.

EUCALIPTO: ajuda a dissipar a melancolia, limpa do inconsciente sentimentos estagnados que, freqüentemente, nos tornam limitados. Seu aroma cria uma sensação de expansão e paz.

MANJERONA: tranqüiliza os delírios provocados por ansiedade e promove serenidade para toda forma de agitação mental. Útil em casos em o cansaço é alternado com a tensão.

OLÍBANO: relaxante e antidepressivo, acalma a mente, proporcionando uma noite de sono reconfortante. Esse óleo é tido como aprofundador da respiração, podendo ser útil quando se está sentindo dor no peito.

TOMILHO: age como calmante para pessoas angustiadas, com tendência a momentos de melancolia. Seu perfume protetor tem habilidade de fortalecer- nos para enfrentar o dia seguinte.

FitoterapiaQuem nunca ouviu alguém dizer: “Está com insônia? Tome um chazinho antes de se deitar! É infalível”. Muitos acham que a técnica não passa de crendice popular, mas alguns têm seu efeito comprovado cientificamente, como explica o especialista em plantas medicinais, Alex Botsaris: “As plantas mais comuns para o tratamento da insônia são a melissa (Melissa officinalis), a camomila (Matricaria recutia) e a passiflora (Passiflora edulis). Em geral, elas podem ser usadas na proporção de uma colher de sobremesa cheia da erva seca picada para uma xícara de água fervente. Basta abafar por 5 minutos e tomar à noite”.Existe também quem prefira os chás de capim limão (Cymbopogon citratus) e flor de laranjeira (Citrus aurantium – flos), no entanto, os efeitos dessas infusões ainda não foram comprovados.
curiosidade
um carneirinho, dois carneirinhos…
Você sabia que o antigo e famoso o ato de contar carneirinhos antes de dormir não é apenas uma lenda para ocupar as crianças? A técnica é eficaz porque exige concentração, fazendo com que nos desvencilhemos das demais preocupações. Também, a contagem vai cansando o cérebro, fazendo com que adormeçamos mais facilmente.
sono x insegurança
Além de todos os ladrões do sono que já citamos, a insegurança merece destaque. Para muitos terapeutas holísticos, dormir é um momento de total entrega ao oculto. É desligar a mente e se deixar à mercê do seu inconsciente: “É abrir os braços para o desconhecido, se doar para algo que foge a seu controle. Isso é muito difícil para a pessoas cheias de medos e aflições”, explica Helena Peirão. Já a vontade de dormir demais representa uma problemática oposta, ou seja, pessoas que têm medo de assumir as responsabilidades diárias e preferem se refugiar no mundo dos sonhos e do inconsciente.
por que é importante dormir?
A aromaterapeuta Sâmia Maluf explica que durante o sono liberamos o hormônio responsável pelo crescimento das crianças que, nos adultos, age na desintoxicação do organismo: “Durante a noite eliminamos os radicais livres e estímulos externos que, de alguma forma, seja física ou emocional, nos afetaram. Seria como fazer uma drenagem linfática”, diz. Existem estudos que buscam comprovar que dormir bem favorece o emagrecimento. Isso teria relação com a liberação dessas substâncias, mas ainda não há comprovações sobre o tema. Além disso, é através do sono que recuperamos as forças perdidas diariamente e, no dia seguinte, acordamos bem-dispostos.
 
cuidado com a postura:O especialista atenta ainda para a posição correta na hora de dormir: “Uma das posturas mais indicadas é deitar de lado, com as pernas flexionadas e com o tronco levemente dobrado. Essa postura requer um travesseiro um pouco mais alto que preencha a região entre a cabeça o pescoço. Outra boa opção é deitar- se de costas com as pernas estendidas, utilizando travesseiro baixo que não projete a cabeça para o alto. É importante que o colchão possua densidade adequada e que não seja muito flexível”, explica.

Um pouquinho de Feng Shui

Essa arte milenar da cultura chinesa tem como objetivo harmonizar os ambientes, a fim de torná-los ricos em energia vital. De acordo com a consultora Cris Ventura, é muito importante que o espaço de dormir seja bastante harmonioso para que o sono seja mais repousante: “O aposento é o local da casa onde permanecemos a maior parte do nosso tempo, considerando que passamos 1/3 de nossas vidas dormindo”, evidencia. Através de dicas simples, ela ensina como tornar este local mais propício a dormir bem:

a textura agradável da manta em algodão colorido orgânico ajuda o corpo a relaxar e o prepara para uma ótima noite de sono.

■ não deixe materiais de estudo ou trabalho neste compartimento, muito menos próximos à sua cama. Isso pode, inconscientemente, causar preocupação e perturbar o seu repouso.

■ bagunça no quarto favorece a estagnação de energia, por isso, mantenha-o limpo e organizado.

■ faça desse cômodo algo mais privativo. Não é aconselhável levar muitas pessoas ou fazer reuniões de amigos nesse recinto. Para isso, temos a sala de visitas.

■ crie clima de aconchego com almofadas, cortinas e, se possível, coloque em frente à sua cama uma imagem bonita. Lembrese que ela será a primeira coisa que você visualizará ao se levantar.

■ dizem que não é bom ter um espelho de frente para a cama ou no teto. Para os chineses “ver-se dormindo” não atrai boas energias.

Exercícios para relaxamento
Para o fisioterapeuta Alexandre Victoni, a modernidade traz consigo muitos reflexos que são verificados apenas no final do dia, ou seja, na hora em que nos deitamos. O trânsito e a pressão do dia-a-dia são apenas alguns dos exemplos de transtornos que dificultam a revitalização de nossas energias. “O que a maioria desconhece é que pequenos exercícios antes de ir dormir colaboram para um sono tranqüilo e benéfico”, explica o fisioterapeuta.Que tal fazer um teste? Identifique quais são as suas maiores necessidades e escolha o exercício mais indicado. Depois, basta seguir as instruções dadas pelo especialista:1) para aliviar os músculos do ombro e do pescoço:
Deitada de costas, com as pernas flexionadas, rode a cabeça para um dos lados. Permaneça nesta posição por cerca de 10 segundos e lentamente realize o procedimento para o outro lado.

2) para alongar a musculatura das pernas e coluna vertebral:
Em pé, com os pés juntos e joelhos estendidos, flexione o tronco para frente e projete as mãos em direção aos pés, deixando o tronco e a cabeça pendentes e relaxados.

3) para relaxar a musculatura do tronco
Deitada de costas, flexione as duas pernas e abra os braços. Gire as pernas para um dos lados e encoste-as no chão. Esta é a posição de torção. Faça para o lado esquerdo e depois o direito, alternadamente

Fonte: Revista Estilo Natural – Edição 38 – Novembro/2006

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: