jump to navigation

O estresse e o sono 01/11/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Qualidade de vida.
trackback

Correio Popular – Opinião – 09/10/2006

J.C. LANE

J.C. Lane é professor titular colaborador na Faculdade de Ciências Médicas – Unicamp, Fundação Centro Médico de Campinas.

Já se sabe, e há muito tempo, que a falta de sono causa certa névoa em nossa capacidade de pensar e/ou raciocinar, além de uma concentração mental ruim. A falta de sono suficiente pode potencialmente levar uma pessoa a uma maior probabilidade de desenvolver certas doenças como, por exemplo, o diabetes do tipo 2 (Associação Médica Norte-Americana).

O cortisol é um hormônio normalmente ligado ao estresse que regula o nível de glicose no sangue. A falta de sono crônica faz com que o nosso organismo libere continuamente o cortisol. Este, por sua vez, libera a glicose. A elevação da glicose automaticamente faz com que o nosso pâncreas produza mais insulina com a intenção de baixar o alto nível de glicose. Esta situação continuada acaba se transformando em uma condição na qual o organismo fica resistente à ação da insulina. Isso leva a pessoa a ter diabetes controlável, mas não curável. Mais ainda, o diabetes beneficia o depósito de gorduras no corpo; ou seja, a obesidade e, conseqüentemente, a perda da auto-estima.

A falta de sono adequado afeta o nosso sistema imunológico, colocando-o em risco de infecções e câncer (Associação Médica Norte-Americana). Além disso, todos nós estamos envelhecendo, pois o nosso organismo começa a produzir menos hormônios e o nosso cérebro também “envelhece”. Entretanto, quando voltamos a dormir cerca de oito horas por dia, os tais hormônios voltam a níveis normais e nós paramos de envelhecer.

Portanto, a solução está em como conseguir dormir estas mágicas oito horas! Eis algumas sugestões:

— Durma e levante-se nos mesmos horários todos os dias (acerte o seu “relógio biológico”!);

— Antes de se deitar, invista em atividades relaxantes, tais como: ouvir música, fazer uma caminhada leve (se puder);

— Use sua cama somente para o sexo e para o sono;

— Um copo de leite light contém uma substância chamada triptofano, que auxilia a indução do sono;

— Não leve tarefas de sua profissão para a cama;

— Não pratique exercícios pesados após o jantar, pois eles o(a) tornam alerta;

— Não ingira bebidas alcoólicas antes de se deitar, pois elas atrapalham o seu “relógio biológico”;

— O café (cafeína) e o fumo são estimulantes. Evite-os após o pôr-do-sol;

— E, por último, não vá para a cama com fome ou com o estômago cheio.

Os conselhos dados acima são aqueles que eu mesmo sigo. Isto não significa que eu consiga dormir tranqüilamente todas as noites; muito pelo contrário, acordo no meio da noite e fico remoendo preocupações reais e imaginárias. Isto sempre resulta em uma noite sofrida e uma mente menos alerta no dia seguinte. Todavia, sempre me esforço para seguir as sugestões supracitadas, pois sei que elas melhorarão o meu padrão de vida e que serei feliz envelhecendo mais devagar. Bom sono!

Fonte: Unicamp na mídia

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: