jump to navigation

Publicar é requisito na ciência 14/10/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico, Utilidade pública.
trackback

A importância da revista é medida pelo impacto científico dos trabalhos que publica

A qualidade das revistas científicas é de interesse direto dos pesquisadores porque é através delas – e só delas – que resultados científicos são validados.

Elas são diferentes das revistas comuns compradas em banca: não publicam notícias, mas os trabalhos científicos propriamente ditos. Podem ser produzidas por empresas, com fins lucrativos, ou por sociedades científicas, sem fins lucrativos.

Todos os trabalhos publicados passam por um processo de revisão por pares, chamado peer review.

Os revisores, assim como os editores, não refazem os trabalhos, mas avaliam as metodologias e a confiabilidade dos dados. Eles podem aceitar ou recusar o trabalho para publicação.

Qualquer estudo, portanto, só é reconhecido pela comunidade científica depois de passar pelo peer review e ser publicado em uma revista indexada.

“Indexada” significa que a revista está registrada em algum banco de dados, que serve como referência de sua própria qualidade. O mais importante é o Web of Science, do Institute for Scientific Information (ISI).

A importância da revista é medida pelo impacto científico dos trabalhos que publica – o que, por sua vez, é medido pelo número de vezes que aquela publicação é citada por outros trabalhos.

A ‘Nature’ e ‘Science’ não são as revistas com maior fator de impacto, mas são as mais influentes entre as revistas de ciência gerais, com grande visibilidade também fora do meio acadêmico.

Fonte: O Estado de SP, 10/9

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: