jump to navigation

A farmácia da sua casa 05/09/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Utilidade pública.
trackback

Você sabe a diferença entre remédio de marca, genérico e similar?
As explicações estão todas aqui. Além de acabar de vez com suas dúvidas, SAÚDE! ensina você a identificar cada um deles na farmácia e orienta sobre consumo seguro.

Medicamento de marca (ou de referência)

marca.jpgÉ um medicamento inovador, criado com base em alguma nova substância sintetizada em laboratório, o chamado princípio ativo. Esse tipo de droga tem sua patente válida por até 20 anos. Durante esse período, só pode ser fabricado pela empresa que o criou, como forma de ressarcir os gastos com pesquisas, desenvolvimento e propaganda do produto. Passado esse prazo, outros fabricantes estarão livres para copiar esses remédios e transformá-los em genéricos.

Como identificar: O remédio traz um nome inventado (o nome “fantasia”), princípio ativo e indicação do laboratório que criou a fórmula.

Genérico

generico.jpgEsse medicamento tem o mesmo princípio ativo de um remédio de marca, cujo prazo de proteção da patente terminou. Ele também possui as mesmas substâncias e tempos de ação e absorção do organismo. Tampouco mudam a forma de apresentação (comprimidos, xarope, solução injetável entre outros) e as dosagens. É uma cópia 100% fiel do produto de marca. Eles não têm uma marca comercial. O que os identifica para venda é o nome do princípio ativo. Sua eficácia é comprovada por meio de testes que buscam demonstrar que o medicamento genérico pode substituir de forma segura e eficaz o remédio de referência. A principal vantagem é o preço – em média 40% mais baixo que o de marca. Isso porque trata-se de cópias de fórmulas já desenvolvidas, o que isenta os laboratórios de gastos com marketing, já que não há marca comercial a ser divulgada.

Como identificar: Tarja amarela para identificação com uma letra maiúscula “G” escrita em azul-marinho, nome do laboratório, nome da substância ativa que identifica o medicamento e a inscrição “Medicamento genérico Lei 9.787 / 99”.

Similar

Como o próprio nome sugere, o medicamento é similar ( ou seja, parecido), e não exatamente igual ao de marca. Ele possui os mesmos princípios ativos, via de administração, posologia e indicação terapêutica do remédio que lhe serviu como base. Entretanto, pode não ser compatível em aspectos como tamanho, apresentação, prazo de validade e embalagem. A velocidade de absorção do princípio ativo dos similares no organismo nem sempre é a mesma na comparação com o produto original. Por isso ele não é considerado um substituto perfeito ao remédio de marca. Antes de comprar um similar, consulte seu médico.

Como identificar: Segue as mesmas regras dos medicamentos de marca – nome inventado (o nome “fantasia”), princípio ativo e indicação do laboratório que criou a fórmula.

Fonte: Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), publicado na Revista Saúde em agosto de 2006.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: