jump to navigation

Alpinista amputado alcança o topo do mundo 31/07/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Qualidade de vida, Utilidade pública, Você sabia?.
trackback

alpinista.JPG

Texto adptado por Paulo Afonso Carvalho

Em 2005, um  neozolandês de 47 anos – Mark Inglis, alcançou o ponto mais alto do mundo – o monte Everest com os seus 8.848 metros de altitude. Não seria nada impressionante se Mark não tivesse as duas pernas amputadas dos joelhos para baixo.  Em uma escalada anterior, no ano de 1982 ficou preso, por dez horas, na neve o que resultou na perda das pernas. Passou a utilizar duas próteses de fibra de carbono.

Essas  limitações só o abateram num primeiro momento, depois adptando-se a vida normalmente, tornou-se guia de esquiadores e fazia pequenas escaladas por alguns anos. Ao atingir o topo do Everest, demonstrou que o ser humano pode realizar muito, muito mais  do que pode imaginar, que tem uma potencialidade quase infinita, inimaginável.

Concluímos afirmando que em diferentes momentos e situações, ao longo das nossas vidas, nos defrontamos com  algum “Everest”, dificuldades que nos parecem insuperáveis. Nos sentimos abatidos, limitados, impotentes mas sempre devemos ter esperança, acreditar, apostar que  com esforço e determinação superaremos o nosso “Everest”.

Fontes:

Anúncios

Comentários

1. Lucia regina Crisostomo - 01/08/2006

Adorei o artigo pq ele nos alerta para a Superação. Esta capacidade que o ser humano tem de recriar-se é fabulosa e um presente dos céus. Que esta grandeza que habita em cada um de nós seja renovada em cada dia de nossa vida, mesmo que em alguns momentos a gente tenha que parar, se repensar e se organizar pra então prosseguir. Só assim a Vida adquire um sentido.

2. Tica - 01/08/2006

É isso Lucia! O Paulo Afonso, com esse artigo, representou muito bem a nossa capacidade de superar os limites. Um belo exemplo!
Abraços.


Sorry comments are closed for this entry

%d blogueiros gostam disto: