jump to navigation

Novo site sobre EM não é independente 19/07/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Utilidade pública, Você sabia?.
trackback

Acabamos de ler no Globo Online que foi criado um novo site independente sobre EM, o EMrede. Até aí, tudo bem. O que preocupa é que DE INDEPENDENTE O SITE NÃO TEM NADA.

Depois de rodar por todas as seções, inclusive a área ‘Sobre’, onde deveria constar informação sobre a autoria do site, achamos somente na parte inferior direita da tela o link ‘Aviso Legal e Política de Privacidade’. Ao entrar na página, lá estava: ‘Este website é fornecido pela Serono Produtos Farmacêuticos Ltda.’ Putz, quem lê esses avisos? Quando queremos saber sobre a autoria de um site, vamos ao sobre/about!

Para quem não sabe, o laboratório Serono fabrica o medicamento Rebif, usado no tratamento de pacientes com esclerose múltipla.

O EMrede é realmente um site com informações preciosas e um excelente recurso para os pacientes de EM, mas falta deixar claro, bem na abertura, quem está disponibilzando as informações.

A empresa Serono está se valendo de uma estratégia de marketing que engana o público. Na pele de site independente, pode influenciar os leitores na hora de informar sobre medicamentos e tratamentos. Pesquisas sobre outros tratamentos não disponibilizados pelo laboratório em questão podem ser omitidas e a informação pode ser facilmente manipulada.

Vocês acreditam que se, por exemplo, o laboratório Abbott, fabricante do Avonex, apresentar melhor forma de tratamento, o EMrede vai divulgar? E se outro laboratório ou médico qualquer aparecer com alguma novidade, eles vão publicar? NUNCA! Isso é concorrência, não é utilidade pública!

Os laboratórios estão cumprindo a parte deles, que é arrumar formas de ganhar dinheiro. Nós, pacientes, que somos os interessados em tratamentos, cura, melhor qualidade de vida, etc, devemos buscar sempre a isenção e imparcialidade nas informações que nos são disponibilizadas.

Curiosidade sobre o nome do site: EMrede lembra enrede, do verbo enredar. Segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, ENREDAR significa, entre outras coisas, “prender ou ficar preso em lugares intricados”; “intrigar, mentir”; “causar ou sofrer dificuldade (ação, negócio etc.)”; “embaraçar(-se), complicar(-se)”; “causar engano a”; “ludibriar, iludir”. Ver sinonímia de atrapalhar, emaranhar e mexericar.

Leiam também os dois artigos escritos por Roney Belhassof, um deles em seu blog e o outro em seu espaço Multiply.

A seguir, algumas informações sobre marketing que podem ajudar a compreender esse tipo de estratégia:

A idéia de criar um falso site independente não é descartada: ‘O melhor seria montar um site especializado, aparentemente neutro, e usá-lo para divulgar informações positivas, em doses razoáveis. Em seguida, criam-se sites pessoais que remetem ao site especializado, citado como referência indiscutível’. Laurent chega a cogitar o oferecimento de ajuda a um site de protesto voltado contra um concorrente de seu cliente: ‘Pode-se gerar um ‘buzz’ positivo em torno de um site, mesmo sem a participação de seus autores’.

Fonte: “Os marqueteiros da web” (Les guérilleros du net-marketing). Trechos do texto originalmente publicado no jornal ‘Le Monde’, com tradução de Clara Allain e copyright da Folha de S. Paulo.

____________________________________

Jay Conrad Levinson
“Marketing de Guerrilha para o Novo Milênio”

  • “Marketing é absolutamente todos os mínimos contatos que qualquer parte de seu negócio tem com qualquer segmento de público. A tática de Guerrilha vê o Marketing como um círculo que começa nas suas idéias para gerar lucro e continua com a meta de acumular o maior número possível de clientes que retornam e que indicam seu produto ou serviço.”
  • “As três palavras chaves no parágrafo acima são todos, retornar e indicar. Se seu marketing não é um círculo, é uma linha direta que conduzirá sua empresa diretamente à bancarrota.”
  • “De que forma o Marketing de Guerrilha é diferente do Marketing Tradicional? Marketing de Guerrilha significa estratégias pouco convencionais, nada tradicionais, que não estão no manual e são extremamente flexíveis.”

____________________________________

A revista Exame publicou uma entrevista com o executivo americano Steve Rubel, da empresa de relações públicas CooperKatz, maior autoridade em Blogs do mundo. Ele diz que as empresas que ignorarem o fenômeno dos blogs podem até desaparecer:

EXAME: As empresas só devem prestar atenção nos grandes blogs?

Rubel: Não. Mesmo os minúsculos, com dois leitores, são importantes, porque cada vez mais os blogs estão sendo listados nos resultados de buscas de programas como o Google, e milhares de pessoas tropeçam nesses resultados e clicam em alguns deles. Mesmo um blog minúsculo pode ser lincado a um bem maior e ganhar uma visibilidade tremenda. Se um blogger pequeno citar sua empresa, não o menospreze, porque amanhã ele pode causar um terremoto.

Fonte: Revista Exame, julho de 2005

Anúncios

Comentários

1. Soraya Silveira Simões - 19/07/2006

Caras editoras,
parabéns pelo alto nível do conteúdo e pela qualidade do serviço que vocês estão prestando, inclusive chamando atenção para jogadas obscuras dos interessados no mercado, e não apenas na saúde !
um abraço cordial,
Soraya

2. Esclerose Múltipla - 19/07/2006

Obrigada, Soraya! Nossa função é essa. 😉
Beijos.

3. Roney Belhassof - 20/07/2006

Oi editoras!

Obrigado por me avisar! Já escrevi meus artigos inflamados no meu blog e no Multiply! 😉

Acho que o assunto é sério demais!

4. Esclerose Múltipla - 20/07/2006

Nós é que agradecemos pela força de sempre, Roney!

Aproveito e divulgo aqui os endereços para seus artigos sobre o assunto:

No blog:
http://www.roney.com.br/blog/?p=1160

No site Multiply
http://roney.multiply.com/journal/item/676

Beijos!


Sorry comments are closed for this entry

%d blogueiros gostam disto: