jump to navigation

Células curam paralisia 27/06/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico, Utilidade pública, Você sabia?.
trackback

Ratos paraplégicos voltaram a andar

ratos.jpgUm passo importante para o tratamento da paralisia motora foi dado esta semana. Douglas Kerr, cientista da Universidade Johns Hopkins, nos EUA, divulgou na trça-feira passada os resultados do trabalho da sua equipe: 14 ratos-fêmea foram submetidos durante seis meses a um tratamento que alia o transplante de células embrionárias e a implantação de substâncias químicas.

Dos 14 animais, onze conseguiram recuperar o movimento e a força das patas traseiras, até então paralisadas.

Através da injeção de células de embriões de ratos na medula lesionada, os cientistas conseguiram restaurar os neurônios motores, responsáveis pela realização de circuitos que enviam sinais elétricos até aos músculos, para que estes sejam capazes de suportar o peso e o movimento das patas.

Para Kerr, o passo seguinte consiste em estender a aplicação deste tratamento aos porcos, animais próximos do ser humano a nível orgânico.

Com o objetivo de encontrar a cura para doenças como a esclerose lateral amiotrófica, esclerose múltipla, parkinson ou lesões na medula espinhal, a equipe americana garantiu que estes procedimentos são um passo para a cura. Todavia, os cientistas americanos advertiram que serão necessários mais alguns anos até este tipo de tratamento poder ser aplicado em pessoas.

Elias Zerhouni, diretor do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, disse aos jornalistas que este trabalho “é um avanço notável para ajudar a entender o uso das células embrionárias no tratamento deste tipo de lesões”. Ao mesmo tempo, salientou tratar-se de uma questão controversa, tendo em conta a posição do Executivo de George W. Bush – contrário, por motivos religiosos, a estas pesquisas. Zerhouni defende que Bush “deveria levantar o veto à investigação com células embrionárias humanas”.

Esta não é a primeira vez que a equipe de Douglas Kerr publica estudos neste sentido. Há três anos, os cientistas da Universidade de Johns Hopkins divulgaram os resultados de uma experiência com roedores paraplégicos que puderam recuperar alguma mobilidade nas patas traseiras. Kerr garante que, desta vez, os resultados foram melhores. “Este tratamento é diferente porque usamos células e outros fatores desconhecidos até então. O projeto que divulgámos há três anos foi um passo prévio para o que agora conseguimos alcançar”, disse.

O neurocirugião português José Pratas Vital considera que esta é uma boa notícia para o tratamento daquelas doenças. Porém, não é o único. “Em todo o mundo, cientistas e investigadores vêm usando células embrionárias para resolver os problemas da medula espinhal. Uns com êxito, outros nem tanto”, disse o especialista ao Correio da Manhã.

Em parceira com outros neurocirurgiões do Hospital Egas Moniz, em Lisboa, Pratas Vital tem levado a cabo, há anos, uma investigação para o tratamento de paralisias motoras em seres humanos. “Nós usamos a mucosa olfativa do próprio doente, que contém células semiembrionárias, durante a operação e implantamo-la diretamente na medula”, explicou. Os resultados foram positivos: alguns doentes recuperaram a sensibilidade ou mesmo a mobilidade. “Já operámos cerca de 100 doentes e a maioria recuperou a sensibilidade ou o controle da bexiga, a capacidade de se pôr em pé ou a própria mobilidade”, disse Pratas Vital.

REGENERAÇÃO DA LESÃO MUSCULAR

  1. Para a obtenção de células-mãe pluripotenciais extraem-se células de um embrião congelado na fase inicial de desenvolvimento
  2. As células são cultivadas durante uns dias em nutrientes
  3. Injetam-se células-mãe embrionárias no rato paraplégico, em cada uma das zonas lesionadas da medula
  4. 11 dos 15 ratos tratados recuperaram uma parte significativa da mobilidade.

Fonte: Correio da Manhã

Palavra-chave: células-tronco

Anúncios

Comentários

1. roberto zucatti - 22/08/2006

gostaria de saber como entrar em contato com dr. pratas vital para obter mais informaçoes sobre tratamento com celula tronco para lesao de medula espinhal. grato

2. Esclerose Múltipla - 22/08/2006

Roberto,

Infelizmente não temos esse contato. Boa sorte na busca.

Abraços.


Sorry comments are closed for this entry

%d blogueiros gostam disto: