jump to navigation

Os Efeitos do Interferon-β na Interleucina-10 em Pacientes com Esclerose Múltipla 17/06/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico.
trackback

A incidência de lesões neuropatológicas e a gravidade dos sintomas clínicos na esclerose múltipla (EM) estão correlacionadas com a quantidade das células T auto-reativas transferidas.

O balanço entre os fenótipos da citocina T helper 1 (Th1) e T helper 2 (Th2) pode afetar a atividade da doença em pacientes com EM.

A interleucina-10 (IL-10) é uma citocina secretada pelas células Th2. Então, tem se pensado que a indução da IL-10 pode ter efeitos terapêuticos no tratamento de pacientes com EM.

Neste estudo, a fim de determinar se diferentes tipos de profilaxia alteram a secreção de IL-10, medimos os níveis de IL-10 em pacientes com esclerose múltipla do tipo remitente-recorrente (EMRR) recebendo interferon-β 1b (IFN-β 1b) ou azatioprina (AZA).

Participaram do nosso estudo, 45 pacientes com EMRR e 15 indivíduos saudáveis como grupo controle. Os pacientes foram categorizados em três grupos como aqueles recebendo IFN-β 1b ou AZA e aqueles não recebendo profilaxia. Cada grupo foi comparado com o grupo controle. Os níveis séricos de IL-10 foram determinados utilizando o método de ELISA.

Os níveis de IL-10 daqueles que receberam IFN-β 1b foram significativamente maiores que os dos outros grupos. Estes resultados confirmam que a habilidade de induzir a citocina IL-10 anti-inflamatória tem um papel na vantagem clínica do IFN-β 1b no tratamento da EM.

Fonte: Ersoy E, Kus CN, Sener U, Coker I, Zorlu Y. The effects of interferon-beta on interleukin-10 in multiple sclerosis patients. Eur J Neurol. 2005 Mar;12(3):208-11.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: