jump to navigation

Molécula de metiltioadenosina: efeito protetor em processos inflamatórios 13/05/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico.
trackback

Henar Hevia Pérez, investigadora da área de Terapia Gênica e Hepatologia do Centro de Investigação Médica Aplicada (CIMA) da Universidade de Navarra, descobriu o papel protetor da molécula metiltioadenosina (MTA) em um modelo de inflamação in vivo. A nova doutora acaba de apresentar sua tese doutoral na Faculdade de Ciências.

Segundo explica a bioquímica, “o componente inflamatório é a chave do desenvolvimento de muitas doenças, incluindo as que afetam ao fígado, conseqüentemente, é de vital importância criar novas estratégias terapêuticas dirigidas a mitigar seus efeitos”.

“Além de muitas outras funções, o fígado desempenha um papel essencial no metabolismo dos aminoácidos. Entre estes se destaca a metionina, um aminoácido essencial cujo metabolismo está alterado nas doenças hepáticas como a cirrose e o câncer de fígado. Portanto, o esforço dos investigadores durante muito tempo, esteve centrado no estudo do metabolismo hepático deste aminoácido e as conseqüências patológicas de sua alteração”.

Inflamação associada a patologias do fígado

A Dra. Henar Hevia estudou o papel de um importante derivado metabólico da metionina, a MTA, na inflamação, um processo associado a uma grande variedade de patologias, incluindo o dano hepático. Estes estudos foram levados a cabo tanto em modelos in vivo como in vitro, e em todos eles constatou-se o potente efeito antiinflamatório da MTA.

A investigadora aponta que “a administração de MTA preveniu o desenvolvimento da resposta inflamatória aguda e, com isto, protegeu completamente os animais frente à morte”.

Ademais, o tratamento prolongado com MTA mostrou-se bem tolerado e nunca produziu reações adversas nos animais.

Em sua opinião, esta investigação desenvolvida no CIMA da Universidade de Navarra, sugere que “a administração de MTA pode ser efetiva no tratamento de doenças que contenham um componente inflamatório, como a cirrose hepática, a artrite ou a esclerose múltipla”.

Fonte: Universidad de Navarra

Citado por Tica

Anúncios

Comentários

1. biel - 15/05/2006

muito bacana seus textos viu….achei muito bom

2. Tica - 14/07/2006

Olá Biel,

Este texto só foi traduzido, mas de qualquer forma agradecemos o elogio e a sua visita.

Abraços e volte sempre!


Sorry comments are closed for this entry

%d blogueiros gostam disto: