jump to navigation

Problemas na fala e deglutição 14/04/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico.
trackback

O termo disartria abrange transtornos da articulação da fala, causados por coordenação imperfeita de estruturas fundamentais como: faringe, laringe, língua e/ou músculos faciais. A disartria pode resultar de doenças dos nervos cranianos, neuromusculares, cerebelares, dos gânglios da base, do tronco cerebral ou dos tratos corticobulbares. Na esclerose múltipla pode ocorrer por desmielinização no cerebelo, bilateral em fibras dos nervos cranianos, em múltiplas áreas do córtex cerebral e/ou tronco encefálico.

Segundo Merson e Rolnick (1998), a disartria ocorre em aproximadamente 40% dos pacientes com EM. Está frequentemente associada à disfagia (transtornos da deglutição). A disfagia pode estar associada ao gorgolejo, congestão, expectoração ou tosse após as refeições, inabilidade de engolir o alimento, perda de peso, engasgo, necessidade de limpeza freqüente da garganta e sialorréia (salivação excessiva)

O paciente com esclerose múltipla que apresenta alterações disártricas e/ou disfágicas deve ser avaliado pelo neurologista que fará o diagnóstico diferencial, pois condições como o uso de certos medicamentos pode causar tremores dos lábios, da língua, da maxila, boca seca ou salivação excessiva. Além disto, outras patologias devem ser descartadas clinicamente e/ou por métodos de imagem. A severidade e as taxas de deterioração na EM são extremamente variáveis; recuperação completa das funções não é sempre o esperado, mas sim o restabelecimento das atividades diárias habituais.

O neurologista, o otorrinolaringologista, o fonoaudiólogo e o terapêuta ocupacional – formam a equipe multidisciplinar – fundamental no manejo do paciente.

Existem exercícios aplicados e orientados pelo fonoaudiólogo e dicas importantes para o dia-a-dia. Algumas encontradas na literatura são:

  • Adicionar agentes para aumentar a textura dos alimentos
  • Alternar o consumo de líquidos e de comidas
  • Realizar pequenas refeições várias vezes ao dia
  • Postura correta durante e após as refeições
  • Higiene da boca
  • Utensílios adequados
  • Atenção durante a refeição

Bibilografia:

  1. DECS – Descritores em Ciência e Saúde (Bireme)
  2. Merson RM, Rolnick MI. Speech-language pathology and dysphagia in multiple sclerosis. Phys Med Rehabil Clin N Am. 1998 Aug;9(3):631-41.
  3. Tillbery C.P., Sanvito W.L. e col. Esclerose Múltipla no Brasil: aspectos clínicos e terapêuticos. Atheneu, 2005.
  4. Walker, H.K.; Hall, W.D.; Hurst, J.W.Clinical Methods. Third Edition. Butterworth Publishers; c1990
  5. Wynn. D.R. Management of Physical Symptoms. International Journal of MS Care. February 2006 Supplement.

Anúncios

Comentários

1. waleria melo - 24/08/2006

ola !
boa tarde , meu nome é Waléria , faço 1 ano de enfermagem , é estou com duvida em um assunto onde vc poderia me ajudar !
gostaria que vc me tirrase essa duvida !
* RELacione o engasgo ao mecanismo da deglutição.

gostaria de saber tbem pq o alcool afeta o sistema nervoso, e me explique pq qdo abusam de bebidas alcoolicas correm maior risco de engasgar?

2. Tica - 24/08/2006

Waleria,

Engasgo – texto básico (clique aqui).

Ação das drogas no cérebro (clique aqui).

…”Além de tudo, como o álcool é um sedativo muito forte, a diminuição do controle da musculatura pode levar a pessoa a engasgar, ou mesmo aspirar o vômito, causando uma pneumonia grave”, afirma o Prof. Galduróz. E pior: se a pessoa estiver bêbada demais, até mesmo esse reflexo pode falhar… (Seleções do Reader’s Digest)

Abraços.


Sorry comments are closed for this entry

%d blogueiros gostam disto: