jump to navigation

Desvendando a ação do Solu-Medrol 12/04/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico.
trackback

A ação da metilprednisolona (Solu-Medrol®) no encurtamento do período de recuperação das exacerbações (surtos) da esclerose múltipla é conhecida há muitos anos, porém o mecanismo específico de ação ainda não foi esclarecido. Para compreender o estudo recente que parece desvendar parte deste mecanismo de ação, temos que saber alguns conceitos:

Citocinas são um grupo de moléculas secretadas por leucócitos inflamatórios (p.ex. monócitos) e por células não leucocíticas envolvidas na emissão de sinais entre as células durante o desencadeamento das respostas imunes. As quimiocinas são uma classe de citocinas pró-inflamatórias que podem atrair e ativar os leucócitos. Os receptores de quimiocinas são glicoproteínas de superfície celular que se ligam a quimiocinas e medeiam a migração de moléculas pró-inflamatórias.

O grupo finlandês de neuroimunologia da Universidade de Tampere analisou os efeitos da metilprednisolona intravenosa (MPIV) na expressão de proteínas receptoras de quimiocinas 5 (CCR5) no sangue de 10 pacientes com exacerbação (surto) da esclerose múltipla. Concluíram que a MPIV tende a reduzir a expressão destes receptores de quimiocinas. Isto sugere uma inibição do potencial de transmigração dos leucócitos para o sistema nervoso central impedindo, desta forma, a progressão da agressão à bainha de mielina.

Artigo relacionado: Pulsoterapia endovenosa com corticóides

Bibliografia:

  1. Elovaara I, Kuusisto H, Paalavuo R, Sarkijarvi S, Lehtimaki T, Huhtala H, Vilpo J. Effect of high-dose methylprednisolone treatment on CCR5 expression on blood cells in MS exacerbation. Acta Neurol Scand. 2006 Mar;113(3):163-6.
  2. NAOUM, Paulo C. Technological advances in laboratorial haematology. Rev. Bras. Hematol. Hemoter., May/Aug. 2001, vol.23, no.2, p.111-119.
  3. DECS – Descritores em Ciência e Saúde (Bireme)

Citado e editado por Tica

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: