jump to navigation

Convivendo com os sintomas e com os outros 11/03/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Qualidade de vida.
trackback

Lidar com os sintomas da esclerose múltipla não é fácil. Sintomas muitas vezes invisíveis, imprevisíveis e alguns persistentes, podem nos levar a momentos de extrema angústia. Não bastasse esta preocupação, temos que aprender a lidar com as reações do próximo e responder as demandas sociais.

O início é sempre difícil, qualquer sintoma de espasmo, incontinência e toda a sorte de problemas advindos da doença, tornam-se um alarme de emergência. Ficamos ansiosos, deprimidos, assustados e tendemos a reações que nem sempre condizem com a nossa forma habitual de agir. Podemos reagir agressivamente ou nos isolamos. Qualquer pergunta sobre o que sentimos, torna-se pano para manga. A reação daqueles que compartilham o dia-a-dia de quem tem uma doença crônica diagnosticada há pouco tempo também varia enormemente. Alguns permanecem assustados e introvertidos frente às queixas do outro. Existem aqueles que ficam tão preocupados e angustiados que enchem o portador de perguntas e cuidados, muitas vezes desnecessários.

Chegar a um equilíbrio não é fácil, mas é possível. O tempo, carinho, respeito e, sobretudo, o diálogo, podem facilitar e trazer estabilidade para o convívio. Este tempo chega, é um período turbulento de adaptação natural a todos os marinheiros de primeira viagem que estão apresentando manifestações constantes da doença.

Escrito por Tica depois de conversa com Teca

Anúncios

Comentários

1. L.P. - 11/05/2009

Realmente você disse tudo. O período inicial de adaptação inicial é complicado. Eu também sou portadora e venho passando por momentos muito difíceis. Entrei em depressão devido a uma fraqueza no lado esquerdo do corpo que até hj não passou totalmente, e que acabou se refletindo no meu joelho, me fazendo sentir uma dor contínua. Conclusão: abandonei a faculdade, namorado, me isolei muito. Minha família tem medo de se aproximar muito, outros acham que eu não tenho me esforçado o suficiente… Espero que em breve as coisas se acertem para todos, e agradeço o que escreveu, me senti menos só.

Att,

L.P.


Sorry comments are closed for this entry

%d blogueiros gostam disto: