jump to navigation

Livre-se da dor na coluna 28/02/2007

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico, Qualidade de vida.
trackback

Se você sofre ou já sofreu deste mal é hora de se cuidar! Técnicas como acupuntura, shiatsu e quiropraxia prometem aliviar e prevenir o problema

Eny Elisa Souto

UM BELO dia você acorda, disposta a fazer seus exercícios físicos, e percebe que há algo errado com o seu corpo. Uma dorzinha na região das costas, ombros e pescoço. Aparentemente, não fez nada de errado na noite anterior. Não carregou nenhum peso nem dormiu de mau jeito. Teve um dia normal, fez exercícios, trabalhou bastante, foi ao curso, resolveu seus problemas particulares e fez compras. E por que essa dor, agora?

Muitas vezes achamos que o nosso organismo está em perfeita harmonia. Mas um incômodo na coluna, a popular dor nas costas, é o primeiro sinal de que algo não vai bem. O problema pode ser a reação do organismo a diversas causas: trabalho sob pressão, rotina estafante, sedentarismo, má postura, falta de alongamento, excesso de atividades físicas, sintoma de doenças em outras áreas e até aspectos psicológicos. Com a vida agitada que as pessoas levam nas grandes cidades, o difícil é encontrar alguém que nunca tenha tido alguma complicação na coluna. Segundo pesquisa feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% da população terá, em algum momento da vida, dor na coluna vertebral, e esta poderá ou não se tornar crônica, dependendo da origem.

em miúdos
A coluna vertebral tem a função de sustentar o físico, prover um canal seguro para a passagem da medula espinhal e permitir movimentos da cabeça, do tronco e da cintura. Ela é formada por 33 ossos, que são chamados de vértebras, e está dividida em 4 regiões: a cervical (pescoço), a dorsal ou torácica (tórax), a lombar (na altura da cintura) e a sacrococcigeana (nádegas). Além de ossos, ela também possui músculos e ligamentos que servem para protegê-la e impedir a movimentação ampla, que seria prejudicial. No livro Viva Bem com a Coluna que Você Tem (ed. Ibrasa), o reumatologista José Knoplich ensina como evitar a dor apenas com mudanças no dia-a-dia. São lições de como dormir, sentar, levantar pesos corretamente e dicas para evitar esforços e torções. Knoplich sugere a posição correta para o trabalho em 25 profissões. Para o reumatologista, seria fundamental que as pessoas aprendessem a cuidar da postura para prevenir uma possível convivência prolongada com um quadro doloroso na coluna.

patologias e sintomas
A identificação não é tão simples. Cada área da coluna, quando afetada, apresenta sintomas próprios, e nem sempre a dor começa nas costas. Na coluna cervical, a dor de cabeça é freqüente. Ela está presente na nuca e dá ao indivíduo a sensação de tensão muscular. Torcicolo, dores no ombro, na parte alta das costas, cefaléia, zumbidos, ânsia de vômito, formigamento e adormecimento dos braços, das mãos e dos dedos são outros indícios referentes a problemas na região.

As zonas lombar e sacra estão relacionadas à postura e à posição da bacia, que auxilia no seu equilíbrio. Quando há algo errado com elas, é comum haver dor no calcanhar, na coxa ou na batata da perna.

Segundo Adriana Maria Kakehasi, reumatologista da Universidade Federal de Minas Gerais, pode-se dizer que, num consultório de reumatologia, entre 10% e 15% das queixas diz respeito à coluna vertebral, e a região lombar é a localização mais acometida. “As principais causas dessas dores são as distensões musculares e ligamentares, o desgaste de um disco entre as vértebras, a chamada hérnia de disco, e também, a degeneração da coluna, chamada de osteoartrite, muito comum em idade avançada”, afirma a médica.

De acordo com Adriana, alguns fatores de risco aumentam a chance de uma pessoa sentir dor lombar. Entre eles estão a obesidade, a má postura e algumas atividades diárias, como levantamento de peso em excesso e de maneira inadequada. “Em alguns casos, como na osteoartrite, existe também a predisposição genética”, afirma.

Diferentemente das outras áreas, a coluna dorsal quase não apresenta sintomas quando há complicações. O motivo, explica, é porque a região está estabilizada pelas costelas, o que a torna menos móvel.

Se você sofre de algum problema de coluna ou está em busca de prevenção, veja as opções de tratamentos alternativos que preparamos para você.

acupuntura
Age sobre a musculatura, aumentando a chegada de sangue e promovendo o relaxamento do músculo. Para Geraldo Achiame, médico acupunturista e presidente da Sociedade Médica de Acupuntura do Rio de Janeiro, a técnica não alivia apenas a dor na coluna, mas também o estresse mental. “A relação da pessoa com o seu cotidiano e seus familiares é importante para analisar a causa da dor”, afirma. O acupunturista explica que o corpo humano não está preparado para o modo de vida que temos hoje. “Ninguém consegue ficar sob estresse o tempo todo.”
Onde encontrar: Centro Multidisciplinar da Dor
Site: www.centrodador.com.br
tel.: (21) 2530-2797

massoterapia
Diminuição da tensão muscular e da dor, relaxamento dos músculos, drenagem de líquidos, melhora da circulação sangüínea e nutrição do tecido da pele. Esses são alguns benefícios da massoterapia, quando utilizada para as dores na coluna. Segundo Maria Claudia Nogueira Amaro, fisioterapeuta e massoterapeuta de Campinas, a profundidade da massagem vai depender da demanda do paciente.

“Se a intenção é relaxar os músculos, a pressão na pele será média. Nos casos de inflamação ou contratura muscular, a massagem deve ser mais leve, para não piorar a inflamação”, explica. Além disso, existem tipos de massagem para diferentes problemas corporais. A massagem clássica serve para aliviar as tensões, já a reflexa consegue tocar os tecidos mais profundos, a shantala, por sua vez, é indicada para bebês, mas ultimamente tem sido feita em adultos para melhorar a circulação das veias mais superficiais na pele. Há também a drenagem linfática, utilizada para diminuir o líquido corporal.

Onde encontrar: Espaço Terapêutico
tel.: (19) 3251-3399

do-in
Segundo Rodolfo Correa Lima, terapeuta holístico e diretor-presidente do Centro de Estudos do Corpo e Terapias Holísticas, o do-in consiste na automassagem feita com a pressão do polegar sobre os meridianos, canais de energia do corpo. Alguns pontos, quando pressionados, ativam determinadas glândulas que produzem substâncias químicas capazes de aliviar as dores. “O significado da palavra do-in é caminho de casa. Na prática, nós buscamos conhecimento do corpo e do espírito”, diz.
Onde encontrar: Centro de Estudos do Corpo e Terapias Holísticas
Site: www.cecth.com.br
tel.: (21) 2241-9256

fisioterapia
A primeira ação de um fisioterapeuta é realizar uma avaliação física do paciente. O próximo passo, explica Claudia P. C. Martins Siqueira, fisioterapeuta da Universidade Estadual de Londrina, é usar aparelhos para diminuir a tensão muscular. Assim que a dor ameniza, tem início uma série de exercícios de alongamento com o objetivo de fortalecer e descontrair a musculatura. “Com a prática dessas técnicas, é possível obter o reequilíbrio biomecânico do corpo.

Mas, além disso, é importante que qualquer pessoa tenha o hábito de fazer alongamento pelo menos três vezes por semana. Dessa forma, haverá menos problemas de coluna”, conclui Claudia.
Onde encontrar: Clínica de Fisioterapia
tel.: (43) 3027-3712

quiropraxia
“Feito pelas mãos.” Esse é o significado da palavra quiropraxia, técnica que utiliza alguns métodos terapêuticos como a terapia manual, os exercícios físicos, a orientação nutricional e a reeducação postural para tratar da coluna.

O seu objetivo, de acordo com o quiropraxista João Carlos Ferreira, da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo, é utilizar a capacidade natural que o organismo tem de autocura para aliviar as dores na coluna vertebral, pernas e braços, hérnias de disco, tensão muscular e alterações de postura.

“Podemos evitar a dor nas costas fazendo exercícios físicos regularmente, usando a bolsa nos dois ombros, quando estiver muito pesada e, se possível, evitando o salto alto, que necessita de adaptações não convencionais para os joelhos e as vértebras”, afirma Ferreira.

Onde encontrar: Associação Brasileira de Quiropraxia
Site: www.quiropraxia.org.br
tel.: (11) 3167-5911

RPG (reeducação postural global)
“A RPG não trata a doença na coluna e sim o doente”, diz o fisioterapeuta, Oldack Borges Barros, RPGista e presidente da Sociedade Brasileira de RPG em São Paulo. De acordo com Barros, não existem dois problemas de coluna iguais. Por isso, o paciente deve ser analisado como um todo.

“A RPG é uma ginástica postural e tem 13 posições básicas que agem em toda a musculatura, esticando os músculos retraídos, distorcendo e desbloqueando as articulações.”
Onde encontrar: Sociedade Brasileira de RPG
Site: www.sbrpg.com.br
tel.: (11) 5044-0940

shiatsu
Essa terapia usa a pressão dos dedos, de outras partes das mãos e dos cotovelos sobre pontos específicos ao longo dos meridianos de energia do corpo. Com a pressão nesses locais, pode-se estimular ou diminuir a circulação de energia no organismo. Na prática, o shiatsu vai aliviar as tensões da coluna e agir como prevenção para futuras complicações. Segundo o terapeuta Roque Cruz Vargas Filho, presidente do Instituto Sul Brasileiro de Aikido, o shiatsu é mais utilizado como uma medida preventiva. “Com a técnica, nós podemos até amenizar a dor, mas, não conseguimos reverter o processo de deformação óssea”, diz. Ele explica ainda que o importante no shiatsu é tornar o paciente consciente do seu próprio corpo, no sentido físico, mental e energético.
Onde: Instituto Sul Brasileiro de Aikido
Site: www.aikido.com.br
tel.: (51) 3333-7867

rolfing
O rolfing é um método que reorganiza a estrutura corporal inteira. Segundo Maria Helena Orlando, presidente da Associação Brasileira de Rolfing, a dor é vista como uma conseqüência do desequilíbrio corporal. Assim, se uma pessoa procurar o rolfing para o tratamento da coluna, será submetida a várias sessões de manipulação profunda e reeducação dos movimentos. “Fazemos uma análise para descobrir onde estão os maiores problemas e ensinamos o paciente a movimentar corretamente o corpo no dia-a-dia”, declara. Com essas técnicas a dor chega a diminuir até 90%.
Onde encontrar: Associação Brasileira de Rolfing
Site: www.rolfing.com.br
tel.: (11) 5539-8075

Fonte: Revista Estilo Natural, Fevereiro de 2007

About these ads
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 721 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: