jump to navigation

Sialorréia 25/04/2006

Posted by Esclerose Múltipla in Espaço médico.
trackback

Sialorréia é a perda não intencional de saliva pela cavidade oral. É um fenômeno normal em crianças antes do desenvolvimento do controle neuromuscular oral (18 – 24 meses). Todavia, sialorréia após a idade de 4 anos é considerada anormal.

Pode resultar da hipersecreção das glândulas salivares, mas é mais comum por prejuízo no controle neuromuscular com disfunção da atividade motora oral levando a um aumento do fluxo de saliva.

Os pacientes, em geral, têm a capacidade de engolir ineficiente (disfagia), o que é um composto adicional ao problema. Além disso, podem amplificar este efeito:

  • problemas como o posicionamento errado da cabeça
  • controle e força do pescoço diminuídos
  • língua volumosa ou que empurra
  • cárie dental e a infecção e doenças do tecido gengival

A hipersecreção também ocorre como efeito de medicamentos como tranqüilizantes, anticonvulsivantes e anticolinesterásicos que aumentam a atividade de receptores específicos (muscarínicos) da via secretomotora, resultando em hipersecreção. Vários problemas podem causar hipersecreção salivar: corpos estranhos, helmintíase, hérnia de hiato, epilepsia, hipertireoidiso e etc…

Qualquer prejuízo na fase oral da deglutição secundária a problemas neuromusculares, trauma, ressecção cirúrgica ou paralisia facial, pode resultar no derramamento de saliva na cavidade oral. A maioria dos pacientes que apresenta sialorréia tem o controle neuromuscular oral danificado.

Existem várias condições que podem levar ao aumento da salivação. A história do paciente, a análise dos sintomas associados e o exame físico, orientam o diagnóstico. Existem vários tipos de tratamento que dependem da causa, sendo fundamental a consulta médica o mais precoce possível.

Na revista MSConnection (winter 2002 – Central New England Chapter), Michael Henry conta que a sialorréia foi um dos seus primeiros sintomas de esclerose múltipla.

Diagnosed with MS in 1985, Michael Henry had to put his landscaping career behind him. Because he loved working with his hands–also being a cabinetmaker–it was hard to accept. “I remember it like it was yesterday,” recalls Michael. “I was working at a large job in Lexington when I started having symptoms like drooling. At first I thought I had too many beers.” Michael went to his family doctor, who sent him to a neurologist. After many tests, he learned that he had MS.

Fontes:

Citado e editado por Tica

About these ads
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 774 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: